Terceira Idade busca o intercâmbio cada vez com mais frequência

A imagem de avós sentadas bordando ou fazendo deliciosos quitutes para os netos está cada vez mais distante da realidade, estando apenas nas páginas dos livros de Monteiro Lobato.

Segundo a Pesquisa Selo Belta 2016, o número de brasileiros da Terceira Idade que antes buscavam intercâmbio e opções de estudo fora do Brasil, passou de 2,4% em 2012 para 7,7% em 2015. Também sabe-se que o processo natural de envelhecimento não é mais um fator impeditivo para atividades cotidianas de um adulto de qualquer idade. Afinal, cada vez mais as pessoas cuidam da saúde e chegam à terceira idade muito bem, podendo e buscando aproveitar essa nova etapa de vida.

Análises demográficas apontam que as pessoas estão sabendo envelhecer e as projeções para o Brasil – sempre considerado como um país jovem – indicam que, em 2050, o percentual de pessoas com sessenta anos ou mais atingirá 23% da população total, o que significa um crescimento em relação aos 9% atuais segundo a ONU, 1999. “Sabemos que a busca por conhecimento não tem idade e por isso mesmo estamos muito felizes com o aumento dessa demanda por intercâmbio para os mais velhos.

Foi um crescimento muito significativo e devemos à globalização, afinal o que antes era apenas um sonho, hoje é uma realidade para essas pessoas que buscam aproveitar a aposentadoria de forma produtiva e prazerosa.

E muitos deles não tiveram a chance de realizar um intercâmbio quando adolescentes, por isso sonham com essa oportunidade”, explica Roberta Salles, diretora da World Study Curitiba.

Reprodução

Reprodução

Quem tem o sonho de estudar no exterior não precisa nada além de planejamento e um bom programa de intercâmbio, e isso uma agência de confiança pode oferecer e criar para o viajante. Não importa a língua (inglês, francês, espanhol), nem o nível de conhecimento (básico, intermediário ou avançado) há uma infinidade de destinos e possibilidades com programações especiais.

Vale a pena ainda lembrar a importância de buscar agências de confiança que oferecem intercâmbio. “Ter a chancela do selo Belta é muito importante para que os clientes possam viajam em segurança. Tendo a garantia que o trabalho oferecido tem credibilidade no Brasil e no exterior, e que os parceiros internacionais são de qualidade e confiança. Dessa forma, o dinheiro do programa será um investimento seguro e com retorno na educação, carreira e principalmente na vida”, complementa Roberta.

Com informações de: http://www.bonde.com.br